a desfilar na passerelle abre-se menos a boca, cometem-se menos gaffes

ontem estive alguns minutos a espiolhar o top +, pedacinho de anacronismo que não descola da grelha da rtp, e topei com a isabel figueira, belas formas, estupendo bronzeado, a trazer à liça o novo disco da mariah carey, ainda melhores formas, bronzeado mais envergonhado, que se chama, o disco, e = mc², assim mesmo, à einstein, les bons esprits se rencontrent, albert e mariah, separados apenas quiçá por um grande par de seios, mas entretanto perco o fio à meada, regresso à figueira, que no seu empenho de apresentadora leu a fórmula como "é igual a éme cê dois", assim mesmo, que isso de elevar ao quadrado não é coisa para ela, quanto muito elevar "ao semicírculo" ou "à bandeirola de canto", surpreendam-se os incautos, afinal de contas a moça foi casada com o césar peixoto e não com o nuno crato cujo pé esquerdo, aliás, tem fama de ser uma merda.

publicado no blogue colectivo sinusite crónica

4 comments:

PDuarte said...

E nem quero imaginar se lhe perguntassem , a ela, o que � o mc2.
Estou em crer, muito por causa da relatividade da coisa, que seria o primeiro presidente eleito depois do 25 de Abril.

Eric Blair said...

toda a sua esquerda é uma merda, não só o pé...

Anonymous said...

Coitadinha! Desde "os acorrentados" que ela luta todos os dias para aparecer e depois implicam com a moçinha porque não sabe ler...

Catarina said...

mc dois soa a hip-hop, podia ser uma piada underground.