Sandro considera que os cientistas sociais deveriam andar mais vezes de transportes públicos

Quase 23% dos portugueses tiveram uma doença mental nos 12 meses anteriores ao inquérito que deu origem ao primeiro estudo epidemiológico nacional de Saúde Mental, apresentado hoje, terça-feira, em Lisboa. Os resultados colocam Portugal com as taxas mais elevadas na Europa.

Os resultados surpreenderam o responsável pelo documento, Caldas de Almeida, que apontou ainda uma "prevalência altíssima" de quase 43% de portugueses que sofreram de perturbações mentais ao longo da vida.


6 comments:

Animal said...

basta ser português para se ficar logo num grupo de risco.

CF said...

Muito a sério, preocupa-me. Os números, as alternativas. Apanhei hoje a notícia, e já escrivinhei qq coisa sobre ela. Afinal já era de ontem. Ando sempre atrasada :)

CF said...

Escrevinhei... uphs

Morrer em Magenta said...

Não é que os cientistas sociais andem a dormir, não há é quem financie bons projectos que para aí andam...

Isa GT said...

Não há dinheiro, nem psiquiatras suficientes para tratar as consequências de ser português. É muito difícil e até leva à loucura, entender como sendo pobre, lhe dizem, constantemente, que é de classe média ;-)

D. Afonso Henriques said...

isto explica muita coisa...